Finalmente os efeitos das políticas monetárias extremamente expansionistas começam a ser sentidos. A conta vem na forma de inflação, conforme preconiza os ensinamentos clássicos da dos livros-texto de economia. Abaixo podemos ver uma amostra de como a inflação está a solta nas diversas economias ao redor do mundo.

Este cenário inflacionário por si só já é benéfico para o Ouro (XAU/USD), que historicamente performa bem em ambientes inflacionários. Em outras palavras, historicamente, o mercado considera o ouro como um Hedge Inflacionário. Visto que, ele tende a manter o seu valor melhor do que outros ativos financeiros contra a erosão da inflação.

Somado a isto, temos um fator adicional para o rally dos preços do Ouro. A atual disputa entre Rússia e Ucrânia. Uma eventual invasão por parte da Rússia iria acarretar conflitos armados. E, novamente, qual o ativo favorito dos investidores em épocas de guerra? Sim, o Ouro.

Portanto, temos 2 drivers bem fortes contribuindo para a alta dos preços do Ouro no momento. Um de curto prazo (Rússia x Ucrânia), e outro de longo prazo (inflação).

Feito o preâmbulo do nosso contexto mundial, vamos analisar o que os gráficos nos dizem.

Os preços vêm em um forte rally de alta. Subindo aproximadamente 7% desde o final do mês de janeiro. No momento se aproxima de uma importante resistência por volta dos $ 1.913. Além desta importante região de preços, já podemos perceber uma certa divergência de baixa querendo se formar entre os preços e o RSI. Além de os preços estarem em região de sobrecompra.

Já temos alguns indícios de saturação da força compradora, entretanto, o mercado ainda tem como alvo a resistência imediata na região dos $ 1.913. O que representa uma possível alta adicional de mais 1% para os preços do Ouro.

Caso o cenário internacional se deteriore muito, a próxima resistência e alvo dos preços fica na região dos $ 1.960.


Pedro Canto @Hub do Investidor.