O IFR (Índice de Força Relativa) – ou RSI em inglês – talvez seja o indicador técnico mais amplamente utilizado por traders, investidores e analistas.

Mas o que de fato é o IFR? O que ele mede? Como configurá-lo? E, mais importante, como posso usá-lo em meu trading system para melhorar meus resultados?

Tudo o que você sempre quis saber sobre o IFR vai ser esclarecido neste post! Vamos lá!



INDICADORES TÉCNICOS

Antes de tudo, precisamos dar um passo atrás e definir o que é o IFR (RSI). O Índice de Força Relativa é um indicador técnico. No nosso post anterior explicamos em detalhes o que eles são, quais os seus tipos e classificações e quais são as suas funções.

De forma resumida, os indicadores são utilizados como ferramenta de apoio à análise técnica clássica. Geralmente, gerando sinais de confirmação e/ou sendo utilizados como filtros nos momentos de tomada de decisão.

Em sua construção os indicadores utilizam informações derivadas de outras fontes. Ou seja, eles têm como matéria-prima as informações oriundas da movimentação dos preços, do volume ou da volatilidade ao longo do tempo.

O seu uso na análise técnica corresponde à navegação por instrumentos em um avião, na qual mesmo sob uma tempestade é possível de pilotar. Eles nos fornecem informações adicionais extremamente úteis, apresentando melhores resultados quando utilizados em conjunção ao movimento dos preços, padrões gráficos e outros indicadores.

Podemos dividir os indicadores nos seguintes grupos:

  • Rastreadores de Tendência
  • Momentum e Osciladores
  • Volume

O IFR (RSI) é um indicador do tipo oscilador em bandas.


Os osciladores em bandas alternam acima e abaixo de duas bandas que significam níveis de preços extemos. A banda inferior representa leituras de sobrevenda e a banda superior, leituras de sobrecompra.

Os osciladores podem permanecer em níveis extremos (sobrecompra ou sobrevenda) por longos períodos, mas eles não permanecem em tendência por um período sustentado.


IFR (RSI) – ÍNDICE DE FORÇA RELATIVA

Desenvolvido por J. Welles Wilder, é um oscilador de impulsão em bandas que mede a velocidade e a mudança dos movimentos de preços. Ele compara a magnitude dos recentes ganhos do ativo com a magnitude de suas perdas e transforma essa informação em um número que vai de 0 a 100.

O próprio Wilder recomenda a utilização de 14 períodos em sua configuração. Entretanto, outras configurações também comumente utilizadas são: 9 e 25 períodos.

A fórmula utilizada para sua construção é a seguinte:


IFR = 100 - (100 / (1+RS))

Onde:

  • RS = Média (n) fechamentos de alta (A) / Média (n) fechamentos de baixa (B) = A/B;
  • n = Número de períodos a ser analisado (padrão = 14 períodos).

Em outras palavras, quando o IFR se aproxima de 100%, significa que a média das baixas é próxima de zero e que, nos últimos n períodos, o fechamento tem sido seguidamente positivo, mostrando que o ativo está sendo fortemente comprado e o indicador, entrando em área de sobrecompra.

De maneira análoga, quando o IFR se aproxima do 0%, significa que a média das altas está perto de zero e que, nos últimos n períodos, o fechamento tem sido seguidamente negativo, mostrando que o ativo está sendo fortemente vendido e o indicador, entrando em área de sobrevenda.


FORMAS DE UTILIZAÇÃO

O IFR (RSI) pode ser utilizado basicamente de 3 formas distintas no seu trading system:

  • Regiões de Sobrecompra e Sobrevenda
  • Figuras Gráficas
  • Divergências


REGIÕES DE SOBRECOMPRA E SOBREVENDA

Como todo oscilador em bandas, o IFR (RSI) delimita as áreas de sobrecompra (acima de 70%) e de sobrevenda (abaixo de 30%). Caso o mercado se encontre em tendência, o indicador se inclina a ficar em uma das duas áreas.

Portanto, o IFR (RSI) pode ser utilizado como um sinal de alerta. Caso o mercado se encontre acima de 70, indicaria o início de uma região de fadiga para os touros, podendo reverter. Sendo uma região ideal para zerar trades na ponta comprada ou procurar por trades na ponta vendedora.

De forma análoga, caso o mercado se encontre abaixo de 30, indicaria o início de uma região de fadiga para os ursos. Sendo uma região ideal para zerar trades na ponta vendedora ou procurar por trades na ponta compradora.

Alguns autores acreditam que em uma forte tendência ou em ativos que possuem grande volatilidade, o valor de 80 é mais adequado para sinalizar a condição de sobrecompra, enquanto o valor de 20 seria mais adequado para indicar a região de sobrevenda.



FIGURAS GRÁFICAS

Assim como no gráfico de preços, também podemos utilizar os conceitos das formações de figuras gráficas nos indicadores. Triângulos, OCOs, Canais... Todas as formações são válidas na hora de analisar o IFR (RSI).

Na imagem abaixo podemos observar a formação de um Topo Duplo no IFR. Que, posteriormente, foi confirmado com o movimento de queda dos preços. Ou seja, o indicador “antecipou” o movimento de reversão.




DIVERGÊNCIAS

A procura por divergências é um dos principais usos do IFR (RSI). A divergência acontece quando o movimento do indicador diverge do movimento dos preços. Por exemplo, o gráfico de preços faz um novo topo mais alto que o anterior, enquanto o IFR não acompanha este movimento e forma um topo mais baixo do que o anterior.

Nesta situação, o oscilador está indicando um sinal de fraqueza da atual tendência de alta, que poderia evoluir para uma reversão.


Os melhores sinais que o IFR (RSI) pode fornecer são para verificar se há divergências do indicador com os preços.


Na imagem abaixo podemos observar a formação de uma divergência no IFR. Enquanto os preços apresentavam fundos descendentes, o indicador formava fundos ascendentes. A divergência, posteriormente, foi confirmada com o movimento de reversão e alta dos preços. Ou seja, o indicador “antecipou” a reversão dos preços.



Nos vemos em breve. Ótimos trades!


Pedro Canto @ Hub do Investidor

Analista de Investimentos

CNPI-T | CEA | PQO | MBA