Nos mercados financeiros há uma variedade de instrumentos disponíveis para os investidores negociarem. Apesar de as corretoras FOREX disponibilizarem uma variedade de instrumentos financeiros para negociação como: moedas, commodities e índices; a verdade é que o investidor não negocia, de fato, este ativo. O que é negociado é um derivativo.

Este derivativo é chamado de CFD (Contratos Por Diferença ou Contracts For Difference em inglês).


Se você sempre teve dúvidas sobre o que são CFDs, no post de hoje vamos explicar o que são estes contratos, porque são negociados e como os investidores podem lucrar com eles. Então bora lá!

CFD (Contracts For Difference)

Os CFDs foram originalmente desenvolvidos no início da década de 1990 em Londres como um tipo de swap de ações que era negociado utilizando conta margem. A invenção do CFD é amplamente creditada a Brian Keelan e Jon Wood, ambos do UBS Warburg, em seu acordo com a Trafalgar House no início dos anos 90.

Em finanças, um contrato por diferença (CFD) é um contrato entre duas partes, normalmente descrito como "comprador" e "vendedor", estipulando que o comprador pagará ao vendedor a diferença entre o valor atual de um ativo. A diferença verificada ao final da operação é então liquidada entre as duas partes.

Em outras palavras, são derivados financeiros referenciados na movimentação de preços. Consistem em contratos baratos e simples, que permitem negociar com diferentes tipos de ativos financeiros. Os CFD funcionam para oferecer a possibilidade de gerar lucros com a negociação de ações, moedas, matérias-primas e outros ativos sem ter que, de fato, possuí-los

Eles foram inicialmente usados por fundos de hedge e traders institucionais para obter uma exposição a ações na Bolsa de Valores de Londres, em parte porque exigiam apenas uma pequena margem, mas também, como nenhuma ação física mudou de mãos, também evitavam o imposto de renda no Reino Unido.

Até os dias atuais, continua a ser comum que os fundos de hedge e outros gestores de ativos usem CFDs como uma alternativa às participações físicas em ações listadas no Reino Unido.

No final da década de 1990, os CFDs foram introduzidos aos investidores e traders de varejo. Eles foram popularizados por várias empresas do Reino Unido, caracterizados por plataformas de negociação on-line inovadoras que facilitaram a visualização de preços ao vivo e trading em tempo real.

NEGOCIAÇÃO DE CFDS

Os tipos de CFDs que podem ser negociadas são as seguintes:

  • Ações: estão incluídas as maiores empresas do mundo;
  • Matéria-prima: também denominada commodities, como ouro e petróleo;
  • Criptomoedas: investimento em moedas digitais com baixo custo;
  • Índices: comuns nas bolsas de valores e permitem investir em todo o mundo.

Ao operar com CFDs, por exemplo, sobre o mercado cambial (FOREX) você estará participando do maior mercado financeiro do mundo, com movimentos financeiros diários acima de 6,6 trilhões de dólares.

Nenhum outro mercado financeiro ou Bolsa de Valores oferece liquidez maior do que o FOREX.

QUAL A DIFERENÇA ENTRE CFDs E AÇÕES NORMAIS

Os CFD são diferentes das ações tradicionais em alguns pontos, e é muito comum que os investidores em ações normais utilizem o CFD. Especialmente para aproveitar as oportunidades do mercado.

As principais diferenças são os custos de transação aplicadas - que são mais baixos - e a utilização de uma margem de garantia, que é constituída por uma fração do valor total.

VANTAGENS

Os CFDs são ótimas oportunidades de negócios, pois oferecem flexibilidade, alavancagem e custos reduzidos. Eles possibilitam investir em diversos ativos, pois têm acesso mais fácil ao mercado global.

Além de diversificar a carteira, o CFD é um excelente complemento para outras formas de negociação, oferecendo a possibilidade de lucrar com alguns benefícios fiscais. É ideal para investidores que desejam se beneficiar de uma alta ou queda dos preços num determinado mercado, ou país.

Além disso, a alavancagem é uma caraterística chave nas operações envolvendo CFDs. Ela permite aportar apenas um percentual reduzido do valor de um ativo para poder contar com uma exposição total sobre o seu preço. Tanto os benefícios como as perdas podem ser muito maiores do que o preço pago pelo contrato.

Operar com CFDs também oferece a possibilidade de ter influência sobre o mercado 24 horas por dia, 5 dias por semana. Por se tratar de um mercado externo à bolsa, ou over-the-counter (OTC), é possível operar com CFDs a qualquer momento do dia.

DESVANTAGENS

Assim como outros ativos financeiros de renda variável, a principal desvantagem dos CFDs é o risco de mercado. Ou seja, existe a possibilidade de ocorrer movimentações bruscas de preço. Muitas vezes os ativos são suscetíveis a acontecimentos globais, como, por exemplo, o comportamento do ouro (XAU/USD) em momentos de guerra.

Portanto, é importante que o investidor esteja atento aos acontecimentos mundiais na hora de investir. Além disso, os CFDs estão geralmente associados à negociação de curto e médio prazo.

Entretanto, ressaltamos que antes de operar com CFDs, há alguns aspectos fundamentais que todo investidor iniciante deve conhecer. Gestão de risco e plano operacional devem fazer parte da vida de todo trader ao operar estes contratos derivativos.

Nos vemos em breve. Ótimos trades!

Pedro Canto @ Hub do Investidor

Analista de Investimentos

CNPI-T | CEA | PQO | MBA