No Brasil a grande adesão de investidores na Bolsa de Valores local (B3) ocorreu apenas nos anos mais recentes, sendo que o investimento em mercados internacionais ainda representa uma pequena parte do portfólio da maioria dos investidores. Entretanto, o caminho natural é que os brasileiros, cada vez mais, internacionalizem os seus investimentos.

É graças a este movimento que o mercado FOREX e de derivativos em moedas vem se tornando cada vez mais popular no país. O número de novos investidores não para de crescer, ano após ano.

No início utilizado, em sua maioria, por traders e especuladores, hoje muitos utilizam o FOREX como uma forma alternativa de se expor aos mercados internacionais ou até mesmo para proteger a sua carteira local. Montando estratégias e portfólios diversificados utilizando os instrumentos financeiros globais disponíveis nas corretoras de valores internacionais.

Entretanto, apesar da crescente popularidade, muitas dúvidas a respeito desse mercado continuam no ar.

No post de hoje procuramos responder a todos estes questionamentos, apontando quais são as principais diferenças entre a Bolsa de Valores do Brasil (B3) e o mercado FOREX.

Vamos nessa!


MERCADO CENTRALIZADO x DESCENTRALIZADO

Começamos com a primeira diferença. A B3 é um mercado centralizado, ou seja, a negociação é realizada entre você e outro participante do mercado, sendo que a Bolsa atua como contraparte central, com o objetivo de diminuir o risco de não cumprimento dos negócios de compra e venda firmados entre as partes.

Se você quer comprar um determinado ativo é necessário que exista outro participante querendo vender. Todo o fluxo de ordens é centralizado, portanto todos têm acesso às mesmas informações.

Não é possível negociar o ativo diretamente com a bolsa, é necessário um intermediário autorizado. No Brasil estes intermediários são as corretoras de valores (CTVM e DTVM).

Já o FOREX é um mercado descentralizado, isso significa que as transações dos pares de moedas não ocorrem em uma bolsa de valores como tal e sim entre os participantes desse mercado. Você agora pode estar se perguntando quem são os participantes? Vamos lá:

Um dos grandes diferenciais do mercado Forex é a quantidade de participantes, gerando enorme liquidez nesse mercado. Bancos Centrais, Bancos Comerciais, Hedge Funds, Empresas, Pessoas Jurídicas e Físicas entram diariamente no mercado de câmbio, comprando e vendendo divisas, levando esse mercado a transacionar até 5 trilhões de dólares por dia. É o maior mercado financeiro do mundo. Alguns desses participantes entram por necessidade, outros por fins especulativos.

Os participantes desse mercado sempre precisam de uma instituição financeira para executar as ordens de compra e venda de divisas (câmbio). É aí que entram as corretoras de valores (também conhecidas como Brokers). Um broker é uma instituição financeira regulada em algum país do mundo, que permite que seus clientes comprem ou vendam pares de moedas e outros derivativos / ativos. Quando você abre uma conta em uma corretora regulada, deposita capital e envia uma ordem através de uma plataforma online de trading, a corretora vai buscar a contraparte para essa ordem – ou seja, se você está querendo comprar EURUSD, a corretora buscará entre os participantes que falamos acima, quem está querendo vender EURUSD e te cobrará uma comissão (ou spread) por isso.

É possível também que a corretora atue como contraparte da sua ordem, realizando uma operação chamada Market Maker, porém isso não ocorre na maioria das corretoras grandes, somente em caso de a corretora necessitar adicionar liquidez ao seu Liquidity Pool, mas isso é uma outra história. Busque sempre corretoras reguladas para executar suas ordens.


LOCALIZAÇÃO

A B3 é a bolsa de valores oficial do Brasil, sediada na cidade de São Paulo. É regulada pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

O FOREX é um mercado internacional, sem “nacionalidade” específica. Mas em cada país em que aconteça a captação de clientes e a oferta do trading online, isso deve acontecer de acordo com a legislação local. No exterior, as corretoras que operam são registradas e devidamente reguladas em cada país. Isso porque se trata de um mercado de renda variável, com derivativos que são oferecidos aos investidores, ou seja, mercado de risco. É importante que a corretora seja bem e devidamente regulada e siga os mais altos padrões de oferta de valores..

A Tickmill possui regulação no Reino Unido. Entretanto, possui outras regulações em países como: Chipre, Labuan (Malasia), África do Sul e Seychelles.


HORÁRIOS DE NEGOCIAÇÃO

Aqui está uma grande diferença entre a B3 e o mercado FOREX. Sendo um dos principais motivos para que tantos traders e investidores optem pelo FOREX.

A B3 possui 2 pregões regulares, um para o mercado à vista (ações) e outro para o mercado de derivativos (termo e futuros). Os pregões funcionam de segunda a sexta-feira nos seguintes horários:

  • Mercado à Vista – 10:00 às 17:00
  • Mercado Futuro – 09:00 às 18:00


Na melhor das hipóteses, temos 9 horas diárias com o pregão aberto.

Já o mercado FOREX funciona 24 horas por dia e quase 7 dias da semana. O mercado abre ainda no domingo às 18:00 (horário de Brasília e início da seção de Sydney) e fecha às 18:00 de sexta-feira (horário de Brasília e encerramento do pregão de Nova Iorque). Esses horários podem ser alterados em função do horário de verão.

Portanto, o FOREX oferece muito mais oportunidades de trades e investimento do que a Bolsa de Valores do Brasil.

Praticamente não temos os Gaps de abertura, tão comuns no pregão brasileiro (com exceção da abertura da semana aos domingos).

Na imagem abaixo podemos ver todas as seções que o FOREX opera ao longo do dia.


TIPOS DE ATIVOS NEGOCIADOS

Na B3 são negociados os mais diversos instrumentos financeiros. Ações, opções de ações, ETFs, mercado futuro... A lista é grande!

No FOREX também existem diversos ativos que são negociados sempre em pares, como por exemplo: euro vs. dólar americano, libra esterlina, vs. iene japonês, e muito mais. Uma corretora de Forex também pode oferecer o trading de Contratos por Diferença (CFDs) sobre criptomoedas, índices das bolsas, ações, metais, etc.

Entretanto, a maior parte do volume de negociação ocorre nos pares de moedas, por se tratar de ativos de alta liquidez (você está negociando dinheiro como tal e não papéis ou índices).

Falando um pouco mais sobre os Contratos por Diferença (CFDs), este é um contrato entre duas partes, normalmente descrito como "comprador" e "vendedor", estipulando que o comprador pagará ao vendedor a diferença entre o valor atual de um ativo. A diferença verificada ao final da operação é então liquidada entre as duas partes. Em outras palavras, CFDs são derivados financeiros referenciados na movimentação de preços do ativo subjacente.

Se você ainda estiver com dúvidas e quiser mais informações sobre os CFDs,confere o post que fizemos para falar exclusivamente deste instrumento financeiro.


CONTA MARGEM E ALAVANCAGEM

A alavancagem é um termo genérico que designa qualquer técnica utilizada para multiplicar a quantidade de capital operado através de endividamento. Ela tem como principal objetivo potencializar o volume operado sobre o real capital investido. Ela está presente em todos os mercados financeiros, centralizados ou não, e pode ser uma vantagem ou desvantagem para o investidor..

Entretanto nas Bolsas de Valores a alavancagem é, de certa forma, mais restrita. A quantidade de ativos e mercados que permitem alavancagem é menor, muitas vezes ficando confinada aos mercados de derivativos.

Mesmo conseguindo operar com alavancagem o investidor, geralmente, fica limitado a operações de daytrade, sendo necessária uma margem de garantia excessivamente elevada para poder dormir posicionado de um dia para o outro. Vejamos por exemplo as margens de garantia exigidas nos minicontratos de índice na B3 (aproximadamente):

  • Daytrade – R$ 100 a R$ 500
  • Swing Trade – R$ 3.000 a R$ 6.000


Como um minicontrato de índice possui valor nocional de aproximadamente R$ 20.000 (isto quando escrevo este post - 10 de maio de 2022). Temos que, para daytrade, a margem de garantia varia entre 0,5% e 2,5% do valor financeiro do contrato. Já para Swing Trade (posições maiores do que 1 dia) a margem de garantia varia entre 15% e 30%.

Já no FOREX ou operando CFDs o uso da alavancagem é mais amplo, não fazendo distinção sobre o tempo pelo qual o investidor deseja ficar posicionado. A margem de garantia exigida será sempre a mesma!

Independentemente se você for ficar apenas 1 dia ou 1 mês posicionado, seu requerimento de margem será sempre o mesmo, variando apenas de acordo com o ativo negociado. A alavancagem permite ganhos (e perdas) exponencias. Se utilizada com parcimônia, pode trazer excelentes resultados financeiros e retorno do capital. Use-a com sabedoria!

Abaixo temos as margens atualmente exigidas pela Tickmill.


PLATAFORMAS OPERACIONAIS

Aqui é um dos poucos pontos onde não existe diferenças significativas entre os dois mercados. Ambos fornecem uma ampla gama de plataformas operacionais avançadas disponíveis para os investidores. Tanto nas versões Web, Mobile e Desktop.


CONCLUSÃO

Mas no final das contas qual é melhor? É difícil responder.

Assim como tudo no mercado financeiro, você deve escolher aquilo que melhor se encaixa no seu perfil e objetivos.

Entretanto, ao colocarmos na balança, o FOREX apresenta algumas vantagens interessantes. Como poder operar além dos horários convencionais da B3.

Entretanto, caso você queira se expor à ações brasileiras, necessariamente terá que operar na B3.



Nos vemos em breve. Ótimos trades!


Pedro Canto @ Hub do Investidor

Analista de Investimentos

CNPI-T | CEA | PQO | MBA