ANÁLISE TÉCNICA PARA INICIANTES | Parte 6

Caros leitores, finalmente chegamos ao último post da nossa série sobre Análise Técnica! Ao longo da nossa trajetória aprofundamos os conhecimentos nesta escola de análise que tem sua origem ainda no Japão Feudal, no século XVIII.

Estudamos a história da AT, Teoria de Dow, Tipos de Gráficos, Figuras Gráficas e Padrões de Candlestick. Naturalmente, é um conteúdo denso para ser abordado com a devida profundidade em apenas alguns posts no nosso blog. Entretanto, a base foi construída para que você – investidor – possa utilizar a AT diariamente em seus trades e investimentos.

No nosso post final iremos falar sobre os famosos indicadores técnicos. Uma vasta gama de ferramentas que podem compor o arsenal dos traders e investidores.

Se você chegou agora (está um pouco atrasado), não tem problema! Abaixo estão os links para os posts anteriores:

Parte 1 - https://www.tickmill.com/pt/blog/guia-para-inician...

Parte 2 - https://www.tickmill.com/pt/blog/analise-tecnica-para-iniciantes-or-parte-2

Parte 3 - https://www.tickmill.com/pt/blog/analise-tecnica-para-iniciantes-or-parte-3

Parte 4 - https://www.tickmill.com/pt/blog/analise-tecnica-para-iniciantes-or-figuras-graficas-parte-4

Parte 5 - https://www.tickmill.com/pt/blog/analise-tecnica-para-iniciantes-or-candlesticks-parte-5



INDICADORES TÉCNICOS

A Análise Técnica clássica tem como principal característica a utilização de ferramentas de desenho nos gráficos. Portanto, se baseia em uma utilização bastante visual e, de certa forma, abstrata e subjetiva.

Com o advento da tecnologia e o uso cada vez mais intensivos dos computadores e de seu poder de processamento, sua utilização nos mercados financeiros abriu novas possibilidades.

Antes dos computadores, era humanamente muito difícil para os traders e analistas calcularem – em tempo real – médias móveis, IFR, Bandas de Bollinger, entre outros... Os computadores, com seu poder de processamento, permitiam que todos estes cálculos fossem feitos em tempo real.

Os indicadores são utilizados como ferramenta de apoio à análise técnica clássica. Geralmente gerando sinais de confirmação e/ou sendo utilizados como filtros nos momentos de tomada de decisão.

Em sua construção os indicadores utilizam informações derivadas de outras fontes. Ou seja, eles têm como matéria-prima as informações oriundas da movimentação dos preços, do volume ou da volatilidade ao longo do tempo.

O seu uso na análise técnica corresponde à navegação por instrumentos em um avião, na qual mesmo sob uma tempestade é possível de pilotar. Eles nos fornecem informações adicionais extremamente úteis, apresentando melhores resultados quando utilizados em conjunção ao movimento dos preços, padrões gráficos e outros indicadores.

Podemos dividir os indicadores nos seguintes grupos:

  • Rastreadores ou Seguidores de Tendência (atrasados)
  • Momentum e Osciladores (antecedentes)
  • Volume
  • Fôlego de Mercado
  • Sentimento


RASTREADORES / SEGUIDORES DE TENDÊNCIA

Como o nome sugere, esta classe de indicadores seguem o preço dos ativos e costumam ser referidos como indicadores de acompanhamento de tendências. Raramente, ou nunca, lideram o preço de um ativo.

Estes indicadores funcionam melhor quando o mercado apresenta uma tendência forte e são projetados para fornecer aos investidores e traders pontos de entrada em operações e mantê-los dentro da operação pelo tempo em que a tendência permanecer intacta.

Portanto, não são eficazes em mercados laterais ou sem uma tendência definida. Se usados em mercados laterais, provavelmente fornecerão muitos sinais falsos.

Nesta classe, dentre os indicadores mais amplamente utilizados, se enquadram:

  • Médias Móveis
  • Envelopes (Bandas de Bollinger e Canais de Keltner)
  • High-Lo
  • Parabólico SAR
  • Movimento Direcional (ADX)
  • Nuvem de Ichimoku


MOMENTUM E OSCILADORES

Os indicadores antecedentes são projetados para liderar os movimentos de preços. A maioria representa uma forma de impulso ao longo de um período de preços fixo no passado, que é o número de períodos utilizados para calcular o indicador.

Estes indicadores geram mais sinais e permitem mais oportunidades para a negociação. Os sinais precoces podem também agir para prevenir uma potencial força ou fraqueza. Podem ser utilizados em mercados de tendência, mas geralmente com a tendência principal, e não contra ela.

Existem muitos tipos de osciladores e alguns pertencem a mais de uma categoria. A composição dos tipos de oscilador começa com três categorias: osciladores de impulsão, osciladores centrados e osciladores em bandas.

Geralmente, os osciladores centrados são mais adequados para a análise da direção da dinâmica de preços, enquanto os osciladores em bandas são ideais para identificar os níveis de sobrecompra e sobrevenda.

Alguns dos indicadores antecedentes mais populares incluem:

  • MACD
  • ROC (Rate Of Change)
  • CCI (Commodity Channel Index)
  • Momentum
  • IFR (Índice de Força Relativa ou RSI em inglês)
  • Oscilador Estocástico
  • Williams %R


OSCILADORES DE IMPULSÃO OU MOMENTUM

Os osciladores de impulsão ou de momentum lidam com a taxa a que os preços estão mudando. Por exemplo, em uma tendência de alta, os preços estão subindo e a linha de tendência inclina para cima. O momentum mede quão rapidamente os preços estão subindo, ou quão íngreme a linha de tendência é inclinada.


Momentum é semelhante à aceleração e a desaceleração do movimento. De modo geral, mede a taxa de variação dos preços de um ativo.


Quando um oscilador mostra que determinada tendência está perdendo momentum, então um sinal de que a tendência pode estabilizar-se é dado. Isso significa que os preços podem permanecer de lado ou até reverter.


OSCILADORES CENTRADOS

Os osciladores centrados flutuam acima e abaixo de um ponto central ou linha. Esses osciladores são bons para identificar a força ou a fraqueza, ou a direção do impulso por trás do movimento de um ativo.

Na sua forma mais pura, a direção é positiva (bullish), quando um oscilador centrado é negociado acima da sua linha central. De forma análoga, é considerado negativo (bearish) quando o oscilador está negociando abaixo da sua linha central.

Alguns dos osciladores centrados mais populares incluem:

  • MACD
  • Momentum
  • ROC (Rate of Change)
  • TRIX (Triple Smoothed Average)
  • Bull e Bear Power


OSCILADORES EM BANDAS

Estes osciladores alternam acima e abaixo de duas bandas que significam níveis de preços extemos. A banda inferior representa leituras de sobrevenda e a superior, leituras de sobrecompra.

Os osciladores podem permanecer em níveis extremos (sobrecompra ou sobrevenda) por longos períodos, mas eles não permanecem em tendência por um período sustentado.


Os melhores sinais que eles podem fornecer são para verificar se há divergências entre o indicador e o preço dos ativos.


Alguns dos osciladores centrados mais populares incluem:

  • IFR (Índice de Força Relativa ou RSI em inglês)
  • Estocástico
  • %R de Williams
  • CCI (Commodity Channel Index)


INDICADORES DE VOLUME

Os indicadores de volume são utilizados para confirmar a força das tendências. A falta de confirmação pode avisar sobre uma reversão e/ou falsos rompimentos.


Preço e volume são os dois básicos insumos dos indicadores na análise técnica.


Estes indicadores se baseiam em uma das premissas da Teoria de Dow. Premissa esta de que o volume precede os preços. O volume nos dará pistas da intensidade e vai determinar a saúda da tendência.

O volume é a indicação de oferta e demanda; quanto maior o volume negociado, maior a liquidez, e, em geral, quanto maior a liquidez, menor a volatilidade dos preços. Um aumento do volume pode significar o fim de uma tendência e uma troca do controle entre os compradores e vendedores.

Alguns dos indicadores de volume mais populares incluem:

  • OBV (On Balance Volume)
  • Williams Acumulação Distribuição
  • VWAP (Volume Weighted Average Price)
  • VAP (Volume At Price)


Finalmente, após 6 posts dedicados a esta escola de análise dos mercados financeiros, terminamos a nossa série sobre Análise Técnica.

Agora chegou a hora de sairmos da teoria e colocar em prática tudo o que foi abordado ao longo da série. Sem dúvidas, com este arsenal à sua disposição, seu sucesso no mercado FOREX está mais próximo.

Nos vemos na próxima. Ótimos trades!


Pedro Canto @ Hub do Investidor

Analista de Investimentos

CNPI-T | CEA | PQO | MBA